bi 228382 paulo freire joao pires estadao conteudo 1 1024x641 1

Deixo as melhores frases de Paulo Freire, um dos educadores mais influentes da história, sobre educação, oprimidos, liberdade, vida, crianças, pedagogia, humanidade e muito mais.

Nascido no Brasil em 1921, ele testemunhou a realidade de uma região e um mundo que ainda era debatido entre algumas classes dominantes e outras dominadas (um fenômeno que continua até hoje).

Segundo Freire, a divisão de classes e a manutenção do status quo não são por acaso e têm suas raízes na educação cultural que os cidadãos do mundo recebem. Através de seu trabalho, ele expõe as causas do problema e propõe uma série de soluções, aplicáveis ​​ao sistema educacional em si.

Suas ideias e pensamentos, considerados subversivos, o levaram ao exílio após o golpe militar de 1964. Refugiado no Chile, ele continuou seu trabalho como educador e filósofo, participando de diferentes planos educacionais e governamentais.

Mais tarde, seu livro ”Educação como prática de liberdade” ganhou tanta relevância que foi convidado como professor na Universidade de Harvard.

Após o exílio, ele voltou ao Brasil, onde continuou a trabalhar para a educação como a concebeu, recebendo em 1986 o Prêmio Nobel de “Paz e Educação” da UNESCO.

Hoje, infelizmente, suas ideais ainda são válidas, sendo a prova confiável da necessidade que temos como sociedade de repensar nossa educação.

Na ânsia de descobrir as causas dessa desigualdade, ele encontrou pistas e respostas de grande valor e desenvolveu uma linha de pensamento em que defendia a educação como a principal ferramenta de transformação social.

Suas melhores citações

Educação é liberdade.

Eu sou um educador que pensa globalmente.

A educação é um ato de amor.

Se não posso estimular sonhos impossíveis, não devo negar o direito de sonhar com quem sonha.

A opressão é alimentada pelo amor à morte e não pelo amor à vida.

Alterar é difícil, mas é possível.

A alegria não vem ao encontro da descoberta, mas faz parte do processo de busca. Não existe tal coisa como saber menos. Existem simplesmente diferentes tipos de conhecimento.

As terríveis consequências do pensamento negativo são percebidas tarde demais.

Não estou no mundo simplesmente para se adaptar a ele, mas para transformá-lo. Ninguém educa ninguém, ninguém se educa, os homens se educam com a mediação do mundo.

Se a estrutura não permitir um diálogo, ela deve ser alterada.

Glorificar a democracia e silenciar as pessoas é uma farsa; Dar um discurso de humanismo e negar as pessoas é uma mentira.

Somente o poder que surge da fraqueza dos oprimidos será forte o suficiente para libertar todos.

A verdadeira generosidade consiste precisamente na luta para destruir as causas que alimentam a falsa caridade. A libertação é uma práxis: ação e reflexão sobre o mundo para transformá-lo.

A manipulação, como a conquista cujos objetivos ela serve, tenta anestesiar as pessoas para que elas não pensem.

Os oprimidos, depois de internalizarem a imagem do opressor e aprovarem suas diretrizes, têm medo da liberdade. A liberdade é adquirida através da conquista, não como um presente. Deve ser realizado de forma constante e responsável.

Um dos elementos básicos da relação entre opressores e oprimidos é a prescrição.

Como posso falar se sempre projeto minha ignorância sobre os outros e nunca percebo a minha?

Os líderes que não agem dialogicamente, mas insistem em impor suas decisões, não organizam as pessoas, as manipulam. Eles não liberam, nem são liberados: eles oprimem.

Opressão é domesticação.

A consciência é a constante apresentação da realidade.

Sei que as coisas podem piorar, mas também sei que é possível intervir para melhorá-las. A libertação é uma práxis: a ação e a reflexão de homens e mulheres em seu mundo para transformá-lo.

Jaspers disse: “Estou na medida em que os outros também.” O homem não é uma ilha, é comunicação. Portanto, existe uma estreita relação entre comunhão e busca.

As pessoas se educam através da mediação do mundo.

O direitista sectário quer retardar o processo histórico, domar o tempo e, portanto, domar homens e mulheres.

A busca pela humanidade plena não pode ser realizada de maneira isolada ou individualista, mas em comunhão e solidariedade.

Para funcionar, a autoridade deve estar do lado da liberdade, não contra ela.

A pedagogia do oprimido deixa de ser oprimida e torna-se a pedagogia do homem no processo de libertação permanente.

Você não pode conceber objetividade sem subjetividade.

Sem senso de identidade, não pode haver luta real.

A multidão está sempre errada.

A palavra não é um privilégio de poucas pessoas, mas o direito de todas as pessoas.

O educador tem o dever de não ser neutro.

A maior tarefa humanística e histórica dos oprimidos: libertar-se. para o passado deve ser apenas um meio de entender mais claramente o que e quem somos, para poder construir o futuro de maneira mais inteligente.

Não entendo a existência humana e a luta necessária para melhorá-la sem esperança e sem sonho.

Os opressores não favorecem a promoção da comunidade como um todo, mas selecionam líderes.

Um deve tentar viver com os outros em solidariedade … somente através da comunicação humana a vida pode encontrar significado.

A educação liberada consiste em um ato de cognição, não na transferência de informações.

Ninguém nasce plenamente formado: é através de nossa própria experiência no mundo que nos tornamos o que somos.

A tranquilidade dos opressores baseia-se em quão bem as pessoas se adaptam ao mundo que criaram e em quão pouco questionam.

A linguagem nunca é neutra.

Essa violência, como um processo, é perpetuada de geração em geração de opressores, que se tornam seus herdeiros e fazem parte dela.

Enquanto os oprimidos permanecerem inconscientes das causas de sua condição fatalista, eles aceitarão sua exploração.

Nenhuma ordem opressiva poderia permitir que os oprimidos fizessem a pergunta: por que?

Os oprimidos, como objetos, como “coisas”, não têm fim, exceto aqueles que os opressores prescrevem para eles.

A consciência crítica, eles dizem, é anárquica.

A confiança das pessoas nos líderes reflete a confiança dos líderes nas pessoas.

Ler não é andar em palavras; É levar a alma deles.

Lavar as mãos diante dos conflitos entre os poderosos e os não-poderosos é ficar do lado dos poderosos, não ser neutro.

A revolução nasceu como uma entidade social dentro da sociedade opressora.

Homens e mulheres raramente admitem abertamente o medo da liberdade, mas tendem a camuflá-lo, apresentando-se como defensores da liberdade.

Nenhuma pedagogia que seja verdadeiramente libertadora pode permanecer distante dos oprimidos, tratando-os como infelizes.

A verdadeira generosidade consiste precisamente na luta para destruir as causas que alimentam a falsa caridade.

Não consigo pensar nos outros ou sem os outros, ou nos outros pensarem em mim.

Não é o mal-amado que começa a insatisfação, mas aquele que não pode amar porque só ama a si mesmo.

Toda relação de dominação, exploração, opressão é em si mesma violência. Não importa se é feito por meios drásticos ou não.

Se a natureza do ser humano é respeitada, o ensino do conteúdo não pode ocorrer longe da formação moral do aluno.

Não há ensino sem pesquisa ou pesquisa sem ensino.

Em vez de se comunicar, o professor faz depósitos que os alunos recebem, memorizam e repetem repetidamente.

A educação é transformada em um ato de depósito, onde os alunos são os depositários e o professor é quem deposita.

Os homens não são formados em silêncio, são formados em palavras, no trabalho, em ação, em reflexão.

Eu gosto de ser homem, ser pessoa, porque sei que minha passagem por este mundo não é algo predeterminado. Sei que meu destino não é um fato, mas é algo que deve ser realizado.

Ensinar não é uma simples transferência de conhecimento, é criar possibilidades para a produção ou construção do próprio conhecimento.

Aceitar e respeitar as diferenças de cada um de nós, é uma das virtudes sem as quais “ouvir” não existe.

A palavra é um lugar de reunião e reconhecimento de si mesmo. Qualquer livro requer uma coisa simples: que o leitor ou o leitor se entregue de maneira crítica ao livro. Parar a vida, reduzindo os seres humanos a coisas simples, alienando-os, mistificando-os, violando-os, é uma atitude dos opressores.

Sectarização transforma realidade em algo falso.

Sectarização representa um obstáculo à emancipação do ser humano.

A narração, que tem como tema o professor, direciona os alunos para a memorização mecânica do conteúdo narrado … a narração os transforma em recipientes que o professor deve preencher.

Na concepção de educação bancária, o educador é quem tem o conhecimento, enquanto os alunos são os que não têm o conhecimento. Na concepção bancária da educação, quem fala é o educador, enquanto os alunos ouvem o que ele diz.

Na concepção bancária da educação, o educador é o sujeito do processo educacional, enquanto os alunos são considerados objetos simples.

Não há diálogo se não houver humildade, nem se não houver fé forte e inabalável nos seres humanos.

O que é ser camponês? Não é ter educação, está trabalhando de sol em sol sem ter esperanças de um dia melhor. E por que essa é a vida do camponês? Porque quer assim. Quem é deus? Ele é o pai de todos nós.

Eu olhei para um fazendeiro e perguntei a ele quantos filhos você tem? Três – ele respondeu. Você sacrificaria dois de seus filhos submetendo-os a sofrimentos, para que o terceiro pudesse estudar? Não – ele respondeu … então será realmente Deus quem faz essas coisas? … Não. Não é Deus quem as faz. É o padrão.

Quando digo homem, mulher está incluída. E por que os homens não se sentem incluídos quando dizem: as mulheres estão determinadas a o mundo? Como justifico que uma sala onde haja duzentas mulheres e um homem solteiro, devo dizer: “todos são excelentes trabalhadores”? Este não é realmente um problema gramatical, mas um problema ideológico.

Comecei a me referir a mulher e homem, ou a seres humanos. E às vezes eu escolho fazer a frase parecer feia para tornar explícita minha rejeição à linguagem machista.

Rejeitar a ideologia machista, implica redirecionar a linguagem. Mudar o idioma faz parte do processo de mudar o mundo.

O aluno começa a se reconhecer conhecendo os objetos, descobrindo que possui as habilidades necessárias para conhecer. O aluno precisa se tornar um educador, entendendo que ele é um sujeito e não um objeto que recebe o discurso do educador.

Não há vida sem correção, sem retificação.

Nenhuma pessoa ignora tudo. Ninguém sabe tudo. Todos sabemos alguma coisa. Todos nós ignoramos algo. É por isso que sempre aprendemos.

Se a educação por si só não transforma a sociedade, sem ela também não muda.

A humildade expressa uma das estranhas certezas das quais tenho certeza: que ninguém é superior a ninguém.

Eu sou um intelectual que não tem medo de amar. Amo todas as pessoas e amo o mundo. É por isso que luto para que a injustiça social seja implantada antes da caridade.

Não basta saber ler que “Eva viu a uva”. É necessário entender qual posição Eva ocupa em seu contexto social, quem trabalha para produzir as uvas e quem se beneficia com esse trabalho.

Educação é impregnar tudo o que fazemos em cada momento de significado. Toda manhã um ontem é criado, através de um hoje… temos que saber o que éramos, saber o que seremos.

A leitura do mundo precede a leitura da palavra.

A necessidade de promover a divisão para facilitar a manutenção do estado opressivo manifesta-se em todas as ações da classe dominante.

A verdadeira educação não é aquela realizada por A para B ou por A sobre B; a verdadeira educação é aquela realizada de A a B, juntamente com a mediação do mundo.

Ninguém ensina o idioma a outro. A linguagem é uma invenção humana que é feita socialmente e ninguém a ensina; Todo mundo adquire linguagem, cria linguagem. O que um ensina o outro é gramática.

É absolutamente essencial que os oprimidos participem do processo revolucionário com uma consciência cada vez mais crítica de seu papel como sujeitos de transformação.

Uma das questões básicas que temos de examinar é como transformar atitudes meramente rebeldes em atitudes mais revolucionárias no processo de transformação radical da sociedade.

O homem ou mulher que proclama devoção à causa da libertação e ainda não é capaz de entrar em comunhão com pessoas, a quem ele ou ela continua a considerar totalmente ignorantes, é seriamente enganado. A desumanização, embora seja um fato histórico concreto, não é um destino determinado, mas o resultado de uma ordem injusta que gera violência nos opressores, que por sua vez desumaniza os oprimidos.

O amor é um ato de coragem, não de medo, é um compromisso com os outros. Não importa onde estejam os oprimidos, o ato de amar é o compromisso com a causa deles, a causa da libertação.

Somente abolindo a situação de opressão é possível restaurar o amor que essa situação tornou impossível. Se eu não vivo no mundo, se eu não amo a vida, se eu não gosto de pessoas, não posso entrar no diálogo. Afirmar que homens e mulheres são pessoas e, como pessoas, devem ser livres e, no entanto, não fazem nada tangível para tornar essa afirmação realidade, é uma farsa. Quanto mais somos capazes de nos tornar crianças novamente, de nos manter infantis, mais podemos entender por que amamos o mundo e estamos abertos à compreensão, à compreensão; Quando matamos nossa criança interior, não somos mais.

O professor é, obviamente, um artista, mas ser um artista não significa que ele possa criar o perfil e moldar os alunos. O que o educador faz no ensino é possibilitar que os alunos se tornem eles mesmos.



Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.